Archive for the ‘Kioto’ Category

Articles

Aquário de Kyoto oferece “cachorro quente” de peixe

In Kioto on 7 de outubro de 2014 por Shigoto.com Agência de Turismo Marcado: ,

Ayu Dog
Os visitantes do Aquário de Kyoto agora podem provar a mais nova invenção gastronômica do Japão: O Ayu Dog, ou, “hot dog” recheado com um peixe (Ayu) inteiro no lugar da tradicional salsicha. Não se trata apenas de um filé, o peixe pode ser saboreado inteiramente, incluindo as vísceras, cabeça e calda.

Essa iguaria já havia sido um sucesso no verão de 2013 na cafeteira do aquário e recebeu muitos pedidos de “volta Ayu Dog!” de clientes que aprovaram a novidade. Aproveitando o sucesso de vendas e de público, o aquário resolveu colocar o “cachorro quente de peixe” de volta ao menu por tempo limitado.

O sanduíche estará disponível até do dia 31 de outubro por ¥500 na “Harvest Cafe”, que fica na praça de alimentação do Aquário de Kyoto. Para maiores informações de como chegar, clique aqui.
Fonte: IPC Digital

Articles

Palácio Imperial de Quioto abre suas portas ao público

In Kioto,Palácio Imperial de Quioto on 5 de abril de 2013 por Shigoto.com Agência de Turismo Marcado:

Durante cinco dias, será possível visitar a antiga residência dos imperadores japoneses

Palacio Imperial de QuiotoO Palácio Imperial de Quioto, a antiga residência dos imperadores do Japão, abriu suas portas ao público nesta quinta-feira, informou a NHK. A cada ano, o Palácio Imperial fica acessível para a população durante cinco dias. Os visitantes têm a oportunidade de ver pinturas com cenas da clássica obra literária do século XI, Genji Monogatari, em uma tela.

Além disso, podem desfrutar de uma coleção de arte imperial. As cerejeiras que estão em torno do palácio formam um atrativo adicional. O Palácio de Quioto foi reconstruído oito vezes. A última foi em 1855. O imperador do Japão reside no Palacio Imperial de Tóquio desde 1869.
Fonte: IPC Digital

Articles

Após êxito das cápsulas, hotéis cabines ganham espaço no Japão

In Kioto,Osaka,Tóquio on 24 de agosto de 2012 por Shigoto.com Agência de Turismo Marcado:

Presentes nas cidades de Osaka e Kioto, e no Aeroporto de Haneda, os hotéis ‘First Cabin’ possuem quartos ‘first class’, de 4,2 metros quadrados, e ‘business class’, de 2,5 metros quadrados

hotéis cabine
Após o êxito dos famosos hotéis cápsula no Japão, uma cadeia japonesa investe alto na abertura de ‘hotéis cabine’, um novo conceito de alojamento que oferece luxuosas instalações e serviços exclusivos em espaços reduzidos. Presentes nas cidades de Osaka e Kioto, ambos no centro do Japão, e no Aeroporto de Haneda, em Tóquio, os hotéis ‘First Cabin’ possuem quartos ‘first class’, de 4,2 metros quadrados, e ‘business class’, de 2,5 metros quadrados.

Diante da necessidade de economizar espaço, estes quartos ‘compactos’ não contam com portas – são separados por cortinas -, mas contam com serviço de internet, televisão, rádio e uma mesinha com luz, além de produtos de penteadeira, como xampu e cosméticos para as mulheres.

Nestes hotéis, as mulheres e os homens são separados em áreas diferentes, mas ambas possuem espaços comuns com instalações de primeira classe, incluindo um luxuoso salão e uma área de sauna.

‘No começo, alguns clientes se queixavam da falta de portas e do fato de ouvirem todos os ruídos dos quartos vizinhos’, indicou à Agência Efe uma porta-voz do grupo, que ressaltou que este fato não foi capaz de impedir o sucesso das versões ‘avançadas’ dos hotéis cápsula.

De acordo com a mesma fonte, no hotel de Osaka, com 111 cabines, a ocupação normalmente é de 85%, enquanto o de Kioto, com 121 quartos, é de 70%. Já o de Tóquio, inaugurado no mês de abril no Aeroporto de Haneda, conta com 130 cabines e costuma ter 90% de ocupação.

Passar a noite em uma cabina de 2,5 metros quadrados custa entre US$ 56 e US$ 61, enquanto a ‘First Class’, de 4,2 metros quadrados, custa entre US$ 60 e US$ 74. Além disso, esses hotéis também contam com um serviço de tarifa diurna por horas, que custam entre US$ 10 e US$ 11,2 a hora.

O primeiro destes hotéis cabine foi inaugurado em março de 2009 em um antigo edifício de Osaka, cujo dono decidiu aproveitar ao máximo o espaço, um bem muito avaliado no populoso arquipélago japonês. Devido ao sucesso do empreendimento, a partir de 2012, o grupo planeja expandir sua rede de hotéis cabine para outros lugares do Japão e, posteriormente, para outros países.
Fonte: IPC Digital com Efe

Articles

Centros gastronômicos de Kioto têm peculiaridades da cultura japonesa

In Kioto,rio Kamo on 5 de novembro de 2011 por Shigoto.com Agência de Turismo

Os restaurantes funcionam em casas antigas, a beira do rio Kamo, que corta a cidade. Cozinha japonesa é famosa pelo cuidado na preparação.

sakura1 As ruas de Kyoto foram cenários de capítulos decisivos da história do Japão. Após batalhas sangrentas, incêndios e terremotos, a beleza da cidade resistiu e mesmo perdendo o posto de capital para Tóquio, manteve a elegância construída nos anos em que a corte japonesa viveu por lá. É comum, por exemplo, ver gueixas desfilando pela rua.

Em uma ruazinha estreita, cheia de restaurantes dos dois lados, fica um dos centros gastronômicos de Kyoto. Para os brasileiros é fácil lembrar o nome do lugar: ponto. Vem do português, é o ponto certo para se comer bem. Hoje, jantar no fim da tarde neste local é uma tradição, uma experiência inesquecível e uma viagem a mundo da delicadeza.food

Os restaurantes funcionam em casas antigas, a beira do rio Kamo, que corta a cidade. A gerente Yumiko Yamanaka explica que os moradores passaram a servir refeições em varandas sobre o rio há mais de cem anos.

A cozinha japonesa é famosa pelo cuidado na preparação e a de Kyoto leva essa característica ao extremo. O resultado final são obras de arte, tão delicadas e coloridas que dá pena de comer. O mais impressionante é que esses pratos são feitos com alguns ingredientes quase impossíveis de usar, como o peixe hamo, que parece uma enguia. Ele tem tantas espinhas e tão duras que, se não for bem preparado quem come pode engasgar. Mas os chefes usam uma técnica centenária e muita habilidade com a faca para triturar as espinhas. Segundo o chefe Yoshitaka Aoki o treinamento para preparar esse peixe demora de dois a três anos.

sakura Aos poucos, descobre-se como o peixe espinhoso é transformado em delicados pratos, como sushi e sashimi. O que restou das espinhas do peixe faz com que ele fique crocante, delicioso e sem nenhum risco. O prato principal é um shabu-shabu, que ganhou esse nome por causa do barulho do peixe sendo mergulhado no molho quente.

A cozinha de Kyoto é uma demonstração de uma arte japonesa: um país sem muitos recursos naturais precisa transformar o pouco que tem disponível em beleza e sabor. Em uma bela cidade, são sensações inesquecíveis.
Fonte: Jornal Hoje